terça-feira, 28 de maio de 2013

O Dia do Desporto de D. Pimpolhinha

E hoje que só entrava à tarde, tive na mesma que me levantar cedinho para levar D. Pimpolha a um estádio para o Dia do Desporto, um dia inventado pela escolinha e que os miúdos tanto gostam porque correm, saltam, brincam, atiram-se para o chão e... não têm aulas!
A excitação era mais que muita entre os miúdos. Pediram-me para tirar algumas fotos para a posteridade mas a ventania era tão grande que resolvi tirar apenas à classe onde D. Pimpolha figurava e quase em exclusivo à arte do salto em comprimento porque gera fotos muito engraçadas... ora vejam lá se não tenho razão...



Ao que parece sem a língua de fora a coisa não vai lá...hehehe

Há muitas fotos bem giras e com poses hiraliantes mas de coleguinhas,das quais não tenho autorização das devidas mamãs para aqui colocar as fotos mas arrisco uma só foto com a pose mais engraçada , com a devida precaução da barra preta nos olhos só para verem o estilo...

É caso para dizer... Yahhhhhhhhhhhhh!

segunda-feira, 27 de maio de 2013

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Phineas e Pherb educativo!

- Então filha, a escola correu bem? E a piscina? Não tiveste dificuldades por estares constipada?
- Sim, correu tudo muito bem, dei muitos mergulhos...
- Parecias um peixinho? Um golfinho?
- Sim parecia...
- Mas sabes que os golfinhos não são peixes, são mamiferos porque precisam de ar para respirar... sabias não sabias???
- ...e tu sabias que os perrys ornitorrincos são os unicos mamiferos que põe ovos???
- ai sim? disse eu perdida de riso com o facto dela achar que todos os ornitorrincos se chamam Perrys...
- e dizias tu que eu não aprendia nada a ver o phineas...

Toma lá e embrulha mamã!



segunda-feira, 20 de maio de 2013

Das mães galinhas...!

Pois é, a escolinha de D. Pimpolha mais uma vez se esmerou e encontraram mais uma passeata para nós papás contribuirmos com um dinheirinho para os meninos irem passear. Enfim, eu na minha altura também gostava muito de passeatas( tão bem me lembro de uma ida à fábrica da cerveja que acabou connosco bêbados - só bebemos ginger ale mas aquilo lá bateu ), mas o problema é que eles resolvem sempre ir para sítios, que a meu ver, são assustadores... Lá na escola têm o costume de irem com todos os meninos e meninas fazer um acampamento só de uma noite. Pedem-nos tenda, sacos cama, roupas e produtos de higiene e lanches...  até aqui tudo bem que eu sempre gostei de acampamentos e tenho a certeza que D. Pimpolha também gostaria, e digo gostaria porque até à data não foi a nenhum porque eu não deixei! E porquê? Ora, no ano passado resolveram ir dormir à ilha da Praia da Armona... ui que giro! É que para lá se chegar só de barco e depois para de lá sair, já adivinham, só de barco! Ora eu, pensando cá com os meus botões e conhecendo D. Pimpolhinha, comecei a imaginar variadíssimos cenários. Ela não querer lá ficar para dormir, ela ter algum acidente, eu a querer ir buscar e depois só nadando porque só há barcos até uma certa hora e recomeçam de manhã... Nem pensar. Mais vale prevenir do que remediar! Não foi. Este ano resolveram de novo uma passeata e dormida lá para os lados de Lagos num sítio que, pelos vistos, tem um lago. Vinha então na comunicação aos pais um pedido de autorização para os nossos preciosos filhotes nadarem no lago, para além da autorização para irem à passeata. Posto isto fiquei logo com a pulga atrás da orelha, e porquê? Lagos eu não confio mesmo nada. Têm muitas vezes solo de lodo, escorregadio e que esconde perigos, raízes onde os miúdos podem ficar presos, sei lá, para além de que normalmente não se vê nadica de nada. Torci o nariz e após uma breve investigação na internet, tomei a decisão de não a deixar ir. É que se eles, escola, acham necessário pedir-nos a autorização para os nossos meninos ali se banharem, é porque têm consciência de que com lagos não se brinca, ou não a teriam pedido! Ontem estivemos numa festinha de anos e eu indaguei à mãe da sua melhor amiguinha sobre se a deixaria ir ou não por causa do dito lago. A resposta foi pior do que eu imaginava, uma das mamãs disse-me que com 35 miudos só iam 3 professores e a outra não tinha recebido comunicação nenhuma e não sabia do lago, embora soubesse da passeata porque tinha ido no dia anterior a uma festa na escola, à qual nós não fomos (porque era para ver uma peça de teatro e levar bolinhos para depois eles lá venderem e tenham a santa paciência, aos sábados não me apetece sequer tirar o carro da "garagem", além de que já fomos a muitas festas e já contribui com uns quantos bolinhos...), e a professora das nossas filhotas foi ter com ela e perguntou se ela tinha algumas duvidas quanto à passeata. Ora quanto ao lago não tinha duvidas porque não sabia do mesmo e como a professora nem falou dele, continuou sem saber. Apenas lhe foi comunicado que os mais pequenitos iriam dormir dentro de uma casa, todos juntos com ela e que iriam se divertir muito a ordenhar vacas e a beber leite tiradinho, fresquinho das vacas. Mau mau, pensei eu, porque em primeiro lugar eu não sabia da ordenha, embora ache graça que os nossos pimpolhinhos tenham um vislumbre de onde vem realmente o leitinho que bebem (ou não já que passa por tantas transformações antes de chegar aos pacotes que em nada se parece ao "verdadeiro"), mas D. Tété, já mais experiente nestas coisas da maternidade, veio logo dizer que esteve às portas da morte por ter bebido leitinho directamente da vaquinha porque as tetas, ou o vaso ou sei lá eu não estava desinfectado... Ora para aqueles que não sabem e nunca experimentaram, eu já, o leite tirado da vaquinha é terrível! Terrível para aqueles que como eu estão a habituados a beber leitinho directamente do pacote e não da teta da vaca. É grosso, cheio de gordura, o sabor é completamente diferente ( sabe mal mesmo) e extremamente pesado em estômagos pouco habituados a este tipo de beberagem. Resta vos dizer, que eu que adoro o leite inglês que é bem diferente do nosso, o leite vigor gordo em nada se assemelha ao leite inglês mas já é mais parecido, assim  que dei um golo, tudo o que entrou saiu de rompante. Bem já não bastava a história do lago e vem a história da ordenha e prova de leites... Mas com esta eu safava-me pois conhecendo a minha pimpolhinha, nem lhe tocaria. E não digo que ali naquele local, as coisas não estejam esterilizadas ou seja lá o que for que tenha de ser feito, mas... conhecem a brucelose??? dos queijos frescos??? pois, é que nem pensar! Mas continuando com a conversa da passeata, hoje ao ir levar a minha filhota à escola, entrei e entreguei à professora a dita comunicação, não assinada porque eu não quero que vá. Fui logo recebida com ohs e porquês. Respondi e ela disse.-me que iam todos os meninos e que pena que ela seja a única a não ir. Pois, pensei eu cá com os meus botões, se calhar os outros pais também não sabem da lagoa/ lago. E depois ainda disse que se eu quisesse não dava autorização para ela nadar, ora coitadinha! Então os outros todos à galhofa na água e a minha na berma sentadinha a ver? Não se faz, claro, ou vão todos ou não vai nenhum. Depois perguntou porque eu não dava autorização para ela nadar no lago, se ela nadava mal ou não sabia nadar. O problema está precisamente aí. É que ela é um peixinho dourado a nadar!!! Confusos? Quantas notícias já leram vocês de pessoas que se afogaram em lagos e lagoas em que os amigos e familiares garantiram que eles sabiam nadar muito bem e até conheciam bem a zona??? São mais os que têm problemas em locais conhecidos e que sabem nadar do que os outros e o porquê é simples. Somos mais afoitos quando achamos que já sabemos tudo o que a natureza tem para nos oferecer. Eu sei que D. Pimpolha sabe nadar bem e sei que iria gostar de mostrar aos amigos que sabe nadar bem e sei que iria querer nadar para mais longe, do tipo - olha queres ver como eu consigo? Para além disto tudo, esqueceram de dizer no comunicado que iriam apenas 3 professores para tomar conta de 35 putos. Acho muito puto para tão poucos professores. Olhem, há dois anos, precisamente os papás da melhor amiguinha da minha filhota, resolveram fazer uma festa de anos para a filha mais velha, fazia 9 anos, na praia. Uma praia pequena, com um apoio de praia, e pensaram eles que tudo era facilmente controlado... ha pois é... deviam ser para aí uns 15 miúdos de varias idades, os mais novitos foram ficando pela praia, à beira de água a fazer castelos e a brincar com conchinhas, mas os mais velhinhos, mais afoitos por já saberem nadar e atraidos por aquele mar fantásticamente convidativo, não se contiveram e não se compadeceram dos ditos papás e não os obedeceram. Eles próprios garantem que nunca mais na vida vão executar tamanha proeza de novo. Às tantas, já estavam todos dentro de água e o pai da aniversariante, com água pela cintura a tentar, em vão, formar uma barreira de uma pessoa só para os impedir de ir mais longe. Agora imaginem lá, 35 miúdos cada um a forçar para um lado. A professora ainda me respondeu que dois dos 3 professores tinham treino para a coisa, mas basta um deslize, uma desatenção... Então eu na praia estou sempre à beira de água a vigiar que nem um falcão todos os mergulhos, e não estamos em praias consideradas perigosas, daquelas que já varreram crianças e idosos para dentro de água... Quando era miuda fiquei muitas vezes enrolada em ondas, aflita por respirar, sempre me dei bem, mas levava cada raspanete da minha mãe... Ora nos lagos não há ondas, mas há perigos escondidos e como só tenho uma filha e como não faço mais nenhuma igual... filha minha não vai, novamente, à passeata. 
Agora o que mais me irrita
- porque tem a escola de organizar este tipo de passeatas a sitios de dificil acesso, sitios onde os pais tem de dar a sua autorização para os miúdos fazerem qualquer coisa??? É que se nos pedem autorização é porque têm consciência dos riscos, ou bastaria a autorização para irem.
-que ela venha a ser gozada pelos demais porque a mamãzinha não a deixa ir
-que venha a ser espicaçada pelos professores para insistir com os pais para a deixarem ir (já aconteceu da outra vez..)

este símbolo faz parte do layout do blogue mãe-galinha (www.mae-galinha.blogs.sapo.pt) e foi desenhado por José Figueiredo, com portefolio disponível em http://www.flickr.com/photos/josefigueiredo.

Chamem-me mãe galinha que não me importo. Assumo e prefiro ser mãe galinha a tomar conta do meu unico pintinho do que permitir que ela vá e, Deus nos livre, aconteça alguma coisa que não tenha volta atrás... 

Mas que me irrita ser considerada a má da fita por tentar proteger a minha filha, lá isso me irrita!

domingo, 19 de maio de 2013

Adopção de crianças... se ao menos revissem os requisitos e acelerassem o processo...!


Li, vi e ouvi que a partir de agora, pessoas do mesmo sexo já têm autorização dos pais ( do nosso governo...) para poderem adoptar crianças e sentirem-se assim uma família por completo. Fiquei bastante contente, tal como tantas outras pessoas por esses blogs fora e por esse Portugal adentro, mas mais feliz devem ter ficado as crianças que estão naquelas instituições para onde foram algumas "deitadas" pelos próprios pais, largadas pelas nossas assistentes sociais e que por e simplesmente foram lá parar sem mesmo saberem como... Não me levem a mal que destas coisas sei pouco mas irrita-me e deixa-me triste haverem tantas crianças à espera de um dia terem um final feliz junto de uns pais carinhosos, sejam eles de sexos iguais ou diferentes. O que este país necessita agora é rever as leis para a adopção e deixarem de serem tão críticos, por vezes por uma coisinha de nada, a adopção já não se concretiza e os sonhos, mais do que dos pais, das crianças são mais uma vez destruídos... Desculpem lá mas a vossa conta bancária não é suficientemente gorda para terem uma criancinha, ou desculpem mas vivem num bairro errado, ou não têm condições, ou ou ou ou... Bem sei que isto não é assim tão preto no branco e acho óptimo que façam os deveres de casa para saber se aqueles pais têm capacidade para ter aquelas crianças ou não. Mas acho que as dificuldades são tantas que muitos são os casais que desistem por já não aguentarem o escrutínio, ou até os há que não desistem mas e as crianças que em vez de terem finalmente a casa e os pais que sempre sonharam ficam ali, á espera eternamente que venha de lá um senhor/a e lhes digo condescendentemente que podem ir... vá lá... Só me vem à cabeça histórias sobejamente conhecidas mas com finais pouco felizes, de crianças entregues a pais carinhosos mas que de uma hora para outra, não tão literalmente, são de novo forçadas a dar não um, mas vários passos atrás e obrigadas a voltar a viver com quem não as queria, só porque as pariram! Sim sou cruel mas mais cruel é este sistema que impede casais, sejam eles quais forem, de adoptar crianças só porque naquela interminável lista não preenchem um requisito... Está bem, não sei bem como se processa mas sei que há tantas crianças que passam as vidas numa instituição em vez de numa casa com mamã e papá, ou mamã e mamã ou papá e papá... Se pudesse eu tinha outro filho biológico mas conscientemente sei que não posso porque não quero que a filha que tenho hoje passe por dificuldades já que ter um filho exige-nos muito dinheiro, não é com certeza com os "exorbitantes" abonos de família que os conseguimos criar. Mas vos garanto que em todos os outros aspectos, as crianças seriam sobejamente felizes de entrar na minha casa caótica, com cães à mistura, com roupas por dobrar e lavar, cozinhas por arrumar, com pó nos móveis e casas de banho tsunamicas... Isto é que me irrita! Porque se os candidatos não apresentam uma vida equilibrada destas coisas todas, não têm direito a adoptar... não lavou a loiça, é portanto suja, não tem a roupa passada e pendurada, é portanto desorganizada, e por aí mas se forem perguntar a D. Pimpolha vos garanto que ela adora os cães, o quarto desarrumado com brinquedos, a varanda com tralhas, a cozinha, esteja ela arrumada ou não porque um factor decisivo na sua arrumação é mesmo ela (ontem tinham mais ou menos 4 pares de sapatos de salto alto espalhados pela cozinha porque resolveu vestir-se à mamã e fazer algumas passagens de modelo enquanto via desenhos e comia duas fatias de bolo acabado de fazer...), enfim. A minha vida doméstica está a mil anos luz do que deveria ser, não sou nem almejo ser perfeita, a minha casa muito menos, mas vos garanto que nós os 3 adoramos ali viver mesmo quando andamos aos gritos uns com os outros porque alguém se esqueceu de desligar a luz, porque mais uma vez estão sapatos fora do sítio, porque , porque ,porque. Acho giro ver fotos de casinhas super arrumadas, com tudo no sítio e pergunto sempre se têm empregada (eu não tenho e mesmo que tivesse dinheiro para ter não queria uma pessoa de fora a mexer nas minhas coisas), se trabalham, se tomam contas dos filhos e do marido e da casa... Lembro-me bem da minha vizinha que passava os fins de semana a lavar estores e janelas e a aspirar e sei eu que mais e o marido a jardinar de sol a sol e as miúdas por lá andavam a brincar mas sem terem tempo de antena junto dos pais. Pois a minha vai para as pastelarias e cafés, brincar de bicicleta ou de patins, e ficamos muitas vezes quase o dia todo, não faço almoço, não faço jantar, não passo a ferro, não lavo o chão... mas estou ali, a vê-la brincar, a falar com ela, a rir, a comer gelados, sei lá e quando chego a casa está tudo por fazer, mas ela não se importa, espera que eu magique algo para o jantar, nem que seja uma bela de uma tosta mista comida com gosto em frente à tv, mas feita com todo o carinho. Tenho plena consciência que se viessem cá a casa assistentes sociais mandavam-me à fava e diziam que eu era louca por querer adicionar mais uma criança aquele meio caótico chamado vida, mas que essa criança seria feliz, lá isso seria, mesmo com pequenos momentos de infelicidade, de choro, de mágoa que é o que faz a vida...

Agora se estou contente com esta nova lei? Claro que sim, já tive colegas homossexuais e adorei trabalhar com eles, com elas nunca me apercebi se as havia mas não tenho preconceitos. Desde que amem as crianças e as façam felizes, quero lá eu saber se são dois homens ou duas mulheres... Esquecemo-nos que os pais passam mais tempo fora de casa nos seus trabalhos e que as crianças passam mais tempo com professores mas lembramo-nos de nos insurgir porque duas pessoas do mesmo sexo querem ter uma criança??? As prioridades estão erradas.  Devíamos ter mais tempo para estar com os miúdos do que os professores, é por estas e por outras que os pais às vezes não conhecem os filhos... mas preocupamo-nos se têm dois homens em casa ou duas mulheres... Os miúdos aprendem tanto em casa como na escola, o importante é mostrar a verdade e deixa-los decidir sobre as suas próprias opiniões, e ajuda-los a formar o seu carácter. Pus os pés pelas mãos neste post... Fico danada quando oiço gente dizer que não conseguem adoptar uma criança e depois ler no jornal  que os pais fazem mal aos filhos... Criticamos os famosos por adoptarem putos de vários países mas desejosos estão os nossos miúdos que um desses famosos passem por cá um dia com vontade de os levar para casa, no questions asked!

O primeiro passo está dado, agora vamos a ver com que facilidade têm estes novos casais de adoptar crianças quando os casais ditos normais não conseguem...

A arte do Mijo!

Mas afinal de que se trata este post tão mal cheiroso?
Ainda me lembro de ter entrado no pavilhão da Alemanha na Expo 98 e de ter ficado deveras intrigada primeiro e depois ofendida por eles terem um sinal proibindo, entre outras coisas, fazer xixi em publico. O sinal revelava um homem de pé a fazer xixi contra uma parede... Fiquei ofendida porque achei que eles estavam a colocar no mesmo saco todos os portugueses e porque achava, erradamente, que nós éramos bem mais civilizados do que aquilo que eles pensavam...afinal parece que eu estava errada. Ontem Dom Maridão tocou à porta e depois nunca mais aparecia o que me fez espécie, para onde tinha ido? Ao que parece Dom Maridão tinha presenciado um homem a sacar da pilinha e a colocar-se em frente a uma parede da Igreja (da igreja???!!!) e vá de se aliviar em plena luz do dia, como se de nada se trata-se e mais, com uma data de cafés abertos com respectivas wc à disposição e são freeeeeeeees! Ora se ainda não chegamos ao ponto de cobrar por usar as wc's dos cafés, porque raio um homem tinha de ir mijar contra a parede? Que raio de instinto primordial foi aquele? Estaria a demarcar o seu território tal qual os muitos cães que vagueiam por ali? Qualquer dia começo a ver os homens de quatro , com pés e mãos no chão a correr a cheirar os traseiros dos bichos animais a fazerem o que estes fazem...  Dom Maridão sabendo que nossa adorada Pimpolha se encontrava a brincar por ali perto, não arredou pé até ver para onde ia aquele bicho animal chamado homem, a garantir que não se aproximava das miúdas... Ai se tivesse sido eu, acho que tinha gritado alto e bom som que aquilo era indecente e que caso não soubesse, punido por lei com uma coima qualquer... Bolas, mas havia necessidade??? Já uma vez, tinha eu ido votar, vinha de lá satisfeita por não ter havido fila e por já ter exercido o meu direito cívico e pimba! Estava um velho (lamento mas perante a sua atitude não lhe chamo idoso e sim velho d'um ...piiiiii) refastelado, com um mão em cima do meu carro e a outra a segurar a velha gaita e a aliviar-se para o pneu do meu carro... P'elamor da Santa! Para o pneu???  A rua não podia estar mais pejada de cafés e pastelarias e restaurantes, mas aquele senhor, se é que o era, resolveu que ali é que era a wc pública. Quando cheguei confrontei-o e o que fui eu fazer... Não só continuou o velho a mijar, como ainda se virou para falar comigo em pleno ato mijando, em vez do pneu, a porta por onde eu entraria...e a sua desculpa que estava muito aflito. O pior é que a rua estava cheia de gente, muitos miúdos já que o local de voto era numa escola onde os pais, para que os miúdos não ficassem em casa, os levavam e deixavam a brincar no pátio enquanto eles iam exercer, tal como eu, o seu direito de voto. Pergunto-me eu que necessidade há dos homens, graças aos céus não todos, fazerem as suas necessidades em publico? Sim porque se têm alternativas e o preferem fazer ao ar livre, alguma razão haverá. Nunca vi uma senhora, que não estivesse bêbada (sim porque em alturas de intoxicação alcoólica eu já vi, também não têm desculpa!) a baixar as calcinhas, a agaxar-se e toma lá que vai disto! Tudo bem que para os homens é mais fácil mas bolas! Qualquer dia vemos os homens ( e mais uma vez graças a Deus que não se trata de toda a classe masculina, só de alguns...) a "mandar um fax" sem trono, assim sem mais no meio da rua e depois a sacarem do saquinho de plástico para apanharem e deitarem no lixo, como eu faço com os meus cães, ou será que o fariam???
Mais algum que o faço na minha frente e tendo a minha filha presente ou nos arredores e vão ver o que lhes acontece!


quarta-feira, 15 de maio de 2013

Quem vê caras...

O mundo de hoje está à beira de rebentar com tudo o que era saudável, amoroso, bonito... criticamos sem pensar no que pode ter dado origem ao que criticamos... Vejo por mim... Ao sair da minha casa ouvi uns conversa, trechos, entre duas senhoras, uma delas dizia...
- anda a pedir comida com um carro daqueles... se não tivesse aquele carro já não precisava de andar a pedir comida...
Que vontade tive de a olhar nos olhos e lhe explicar que nem tudo é preto no branco como ela o pinta... que se calhar aquela pessoa numa altura da sua vida em que sonhava alto e em que estava mais ou menos equilibrada financeiramente, porque nunca ninguém o está verdadeiramente, em que tinha um trabalho promissor mas modesto, permitiu-se fazer um empréstimo para comprar aquele carro que a a permitiria levar os miúdos à escola comodamente, ir às compras sem ter de carregar tudo nas mãos, até mesmo passear ao fim de semana... lá sabia ela que um dia a empresa falia, não lhe pagava o que lhe devia e ela ia começar acumular contas porque com a idade dela, mesmo ainda jovem de espírito e de cara, ninguém a quereria empregar, que o subsidio de desemprego a faça sentir uma pária, que o marido também ele se encontrasse numa situação semelhante... Um dia, porque quis o melhor para os filhos, coloco-os com muito sacrifício numa escolinha melhor para que um dia mais tarde pudessem ter um emprego melhor e saírem dali melhor preparados para a vida, mal sabia ela que a meio do ano ia deixar de conseguir pagar a escola, ia sentir vergonha sempre que os ia levar e buscar porque já não pagava há 2 meses e que remédio tinha ela se não o fazer pois os filhos têm de ir à escola... Tive vontade de lhe dizer com calma e até carinho, que se calhar ela está a tentar vender o dito carro para não ter de pagar mais as prestações e o seguro do mesmo mas que ninguém o quer comprar porque a vida está mal e que remédio tem ela de ainda usar o carro que a endivida cada dia mais porque não tem escolha... Que vontade de dizer que se calhar essa senhora, mudou totalmente a maneira de ver a vida e hoje já não usa roupas de marca, mesmo daquelas baratas porque já faz tempo que deixou de comprar roupa para si para poder ir comprando para os filhos que estão a crescer e necessitam... Que vontade tive de a levar até casa dessa senhora e lhe mostrar o frigorífico mais vazio que cheio, de a levar ao seu banco e mostrar a conta a zero... nem tudo é o que parece amigos, nem tudo é preto no branco...
Conheço tantas histórias semelhantes de gente que cozinha apenas no forno porque não pode pagar a conta do gás e ao menos o forno é eléctrico até ao dia em que não consiga pagar a conta da luz e da água... Que vontade de lhe dizer que essa senhora se calhar para poupar não toma banho todos os dias como fazia antigamente e sim apenas uma vez ao dia para não gastar... que já não vai ao cabeleireiro pintar o cabelo, mesmo àquele baratuxo, que vontade de lhe dizer que se calhar aquela senhora que tanta confusão lhe faz com o seu carro chora até adormecer, quando adormece, a tentar perceber o que fez mal na vida para se encontrar naquele ponto, a tentar perceber como vai fazer no futuro, como vai explicar aos filhos que já não lhes pode comprar gelados e bolos nas pastelarias e que têm de comer tudo o que está no prato porque talvez um dia não tenham nada para comer... enfim... que vontade tive eu de lhe dizer que quem vê caras não vê corações, corações oprimidos de medo, raiva, partidos em dois ou mais bocadinhos...Ela acha que por ter um carro, a senhora está bem de vida e se recomenda... Se calhar ainda há gente assim, mas se calhar há muito mais gente que esconde bem o seu sofrimento por um dia ter aceite as benesses do crédito que lhe enviava emails com todas as vantagens e mais algumas, que lhe telefonava a convidar a endividar-se... que o cartão que ela um dia num supermercado aceitou e jurou só o usar em casos de emergência, já esteja esgotado não com compras supérfluas mas com pagamentos de coisas que antes podia pagar com o seu salário... Que essa senhora que antes guardava parte do seu dinheiro para um Rainy Day, foi obrigada a ir buscar as suas poupanças para pagar dividas e agora já não sobra mais nada...
De quem é a culpa não sei, mas eu nunca mais vou criticar os outros pelo que têm porque não sei na realidade como eles fazem para o ter. Sim há gente inteligente que nunca deu ouvidos ao crédito e às facilidades de vida, sim há gente que pouco tem e vive do seu salário e não deve nada a ninguém, é verdade. Se a senhora é culpada de sonhar alto, é sim! Se ela é culpada de não ter pensado nas coisas melhor, sim é!
Mas quem de nós pode atirar a primeira pedra??? è que não conheço muita gente que viva sem a mínima das preocupações, que nunca tenha recorrido ao crédito fácil, de ter pensado que conseguiria equilibrar as contas porque afinal os dois adultos trabalhavam e recebiam o suficiente... sei lá de quem é a culpa e de quem não é, mas quando as ouvi a criticar assim, deu-me pena da outra senhora... não sei porquê... 

E sabem o que mais me incomoda? É que eu já fui assim! Critica após critica... e lá sabia eu...

Á beira de...



preciso da minha filha e do meu marido para passar hoje o dia... e de quem mais me quiser animar...




quarta-feira, 8 de maio de 2013

Faz favor... menos manhãs atribuladas...please!

Ora se antes já escrevi sobre a minha manhã atribulada hoje então nem vos falo... A 4 patas que fui buscar ao canil deu-me que fazer hoje de manhã e ontem à noite... Infelizmente é uma flor de estufa que veio do canil com todas as doenças e mais algumas, que entretanto conseguimos colmatar, menos a leishmaniose que ainda por cima é de um nível alto. Resultado ou anda a antibióticos meses seguidos (pelo menos 28 dias de seguida) ou cai, e quando digo cai, é que cai mesmo! Voltou a sangrar do nariz abundantemente, não se aguenta em pé, tem febre, respira mal por causa dos coagulos de sangue que se vão  acumulando no nariz... enfim. Tem sido um sacrifício mesmo muito grande pois quando a fui buscar ao canil, fi-lo porque gosto de animais e porque estaria deste modo a ajudar o canil que está sobrelotado de animais. Mas infelizmente se isto assim continua, não vou poder ficar com a cadela para muita tristeza da minha pimpolha, mas honestamente, não posso gastar mais dinheiro com a cadela. Resta-me apenas pedir ajuda ao canil onde a fui buscar a ver se pelo menos me podem aconselhar um veterinário com o qual trabalhem para que eu a possa levar e não pagar pelo menos a consulta. O que mais me irrita é ver em frente de minha casa, 3 cães vadios que os vizinhos vão tratando e dando comida e que estão sãos como pêros, nunca devem ter ido a um vet, um já é velho e caquetico e para ali anda, a demonstrar bom ar, não tem problemas de pelo, sangramento, intestinais, sei lá, e eu que fui tanta vez com a minha cadela ao vet, lhe dei todos os comprimidos e mais alguns e pronto, é doente que se farta. Pronto, isto chateia-me! Já tinha ido buscar um animal ao canil, um canil totalmente diferente deste, muito pior, e o bicho era perfeitamente saudavel até ao dia em que desapareceu para nunca mais lhe colocar a vista em cima, mas ainda esteve muitos anos connosco.
Mas ainda nem vos contei como foi a minha manhã. Ontem a bicha não pode ir à rua pois mal se aguentava em pé e sangrava sem parar, tive de lhe colocar um saco de gelo com uma toalhinha em cima do focinho de maneira a parar o sangramento. Resultado hoje a minha marquise estava uma desgraça, xixi, coco e muito sangue. Ela olhou para mim com um olhar de vergonha e medo mas que remédio tive eu senão limpar e pronto. Quanto à 4 patas mais pequena, aquela graças a Deus não tem doença nenhuma mas por uma razão qualquer anda numa de imitar a outra e embora vá à rua, resolveu fazer tudo em casa já faz uns dias. Como se tem portado mal, desde xixis nos tapetes e cocos na cozinha. tem ficado a dormir na cozinha em vez de em cima da nossa cama. Hoje de manhã também me deixou um presentinho que sem refilar muito, limpei... depois lá fui tratar daquela confusão toda na marquise e preparava-me para levar a doentinha à rua quando dou de caras com mais um xixi na marquise que tinha acabado de limpar... da 4 patas mais pequena... Hoje façam-me um favorzinho... saiam da minha frente porque eu nem sei que faça... bolas que fartura... claro que a decisão de a levar de volta para o canil não está ainda tomada, até porque penso que se fosse um filho eu nunca o iria devolver, claro, mas infelizmente não é um filho, e também acho que a bicha está a sofrer... ninguém pode gostar de estar assim, prostrado, com febre, a sangrar e a defecar quase no sitio onde dorme porque não se consegue levantar... a ver vamos o que fazer, mas uma coisa é certa, já não há mais orçamento para tratar a bicha no vet... são tão caros... eu nem sequer ao médico vou... enfim... espero que melhore para eu não ter de passar mais manhãs a limpar dejectos caninos e sangue quando deveria estar a prepara a minha filha para a escolinha e a fazer pequenos almoços e lanches...
Espero sinceramente que a minha próxima manhã possa ser bem mais calma, até parece que Deus me quer dar uma lição de como as coisas podem ser sempre piores do que aquilo por que já passamos e nos queixamos... bolas, não preciso dessas lições, preciso é de ajuda e de lições que me ponham para cima e não a chorar de manhã... faz favor...!

Amor e carinho!

E ontem quando fui buscar a minha doce Pimpolha, cheguei à porta da sala onde ela fica à tardinha a brincar ou a fazer desenhos, ela olhou para mim, sentada na sua cadeirinha e deve ter pensado algo como... a minha mãe chegou, a minha mãe zangada, chorona e cansada... e não se levantou e notei nela mesmo um certo desalento porque primeiro não queria vir embora e por minha causa... Mas eu, e porque ao sair do carro concentrei-me e pensei que tenho de ser uma mãe melhor mesmo no meio de tantos problemas, eu levantei os braços sem nada dizer em direcção a ela como que a pedir um abraço e a acolhe-la no meu seio... Ela olhou para eles, sorriu e levantou-se de imediato e veio-me abraçar e disse... estás feliz, que bom! e abraçamo-nos e dei-lhe beijinhos na sua melena dourada pelo sol... na realidade não, não estou feliz, sinto-me por vezes à beira do abismo prestes a cair tal é a força dos meus muitos problemas, todos eles financeiros, graças a Deus nenhum de saúde... não eu não estou feliz, estou cansada, muito cansada, tão cansada que basta pensar nisso e as lágrimas acumulam-se nos meus olhos...mas ontem tomei a decisão, certa, de a ir buscar, não com palavras amargas e sermões sobre mochilas abertas e conteúdos espalhados, cabelos desgrenhados, roupas sujas e lancheiras abertas, mas simplesmente com um abraço... Foi a decisão certa! Ficamos ali uns segundos aos abracinhos e soube bem e a ela sei que soube ainda melhor porque não o esperava e foi bom... depois, no carro fez-me uma pergunta que ao mesmo tempo que me magoou e partiu o coração pela sua implicação, deixou-me feliz ... Mamã? Quando me vieres buscar podes sempre fazer assim? Dar-me um abracinho? É só isto que eles querem, amor e carinho!

domingo, 5 de maio de 2013

Dia da Mamã!

Hoje é dia da mamã, mas a mamã está a trabalhar e deixou sua gloriosa filhota com Dom Maridão. Mas hoje, que é dia da mamã, também é dia da minha mamã que tão tristinha continua por causa da sua amiguinha de 4 patinhas que já partiu... Infelizmente não celebramos o dia da mamã e o dia do papá todos os dias como deveria ser e também o dia da criança... Andamos demasiado ocupados com problemas financeiros e demais para celebrarmos esses dias todos que existem num só ano. D. Pimpolha tem tido pesadelos e tem vindo invadir a nossa caminha. Já faz uns 4 dias em que isto acontece e acabo por não entender se realmente se trata de pesadelos ou de desculpas para dormir connosco mas ontem tivemos uma pequenina conversa sobre camas e donos delas e disse-lhe que não podia estar sempre a vir deitar-se na nossa cama porque tem a dela... Saiu de lá um beicinho tristinho e por pouco não caia uma lágrima. Diz Dom Maridão que tem muito boas memórias de sestas dormidas a dois na caminha dos papás e até num puff gigantesco que temos lá por casa... E quando lhe nego vir para a minha caminha, porque infelizmente eu fico sempre ensanduichada entre os dois e acabo por quase sufocar ( sou muito encalorada e hoje tive um sonho em que não conseguia respirar e quando acordei desesperada vi-me no meio dos dois, cada um a ressonar e eu bem entalada, de tal maneira que para ir até ao quarto de banho foi um sarilho...), lembro-me sempre de ter lido uma carta de uma mamã desesperada que num dia feliz, numa praia, entre amigos e familiares, perdeu o seu pequerrucho para as garras do mar, uma carta que me fez chorar muito pois não posso sequer imaginar tal coisa a acontecer, uma carta que falava de tanta coisa e de tanto amor e de tanta tristeza e saudade mas que tinha uma frase que me lembrarei sempre - Podes sempre vir dormir para a minha fada... lembram-se? Quando li isto morri por dentro de dor e angustia por aquela mamã e hoje, quando Dom Maridão me relembrou que qualquer dia, quando ela formais velhinha e já não queira invadir a nossa cama, que eu irei sentir mesmo muita falta daqueles cabelos no meu nariz, daquelas mãozinhas procurando as minhas, daquele corpinho quentinho enroscado no meu, veio-me à cabeça esta frase que acho que nunca sairá do meu pensamento. É verdade Dom Maridão tem muita razão no que diz, mas que fobia tenho eu de ficar ali, entre os dois, sem quase respirar, a suar... Devo ter alguma memória reprimida da qual não me consigo livrar, não é de propósito que me sinto assim mas por vezes acabo por a levar de novo para a sua caminha, que por sinal ela tanto gosta... É verdade que vou ter saudades quando já não o fizer e por isso mesmo quando ela se enfia na minha cama, sempre do meu lado, depois de me dar um beijinho gostoso, eu me lembre daquela frase daquela mamã que , embora nunca tenha superado aquela dor, hoje tem uma menina para a abraçar...

Não sei porque hoje me lembrei disto, neste dia que dizem ser Dia da Mãe, mas desejo do fundo da minha alma, Um lindo Dia da Mamã, quer seja ele passado na praia, a fazer coisas maravilhosas, a passear, a trabalhar ou apenas no doce sossego do lar... Só desejo que todas as mamãs se lembrem que nem tudo são rosas, que a vida é um emaranhado de complicações e soluções, que por vezes os nossos filhos nos tiram do sério, que por vezes levantamos a voz e a mão acompanha e nós não queríamos, mas que se lembrem que embora sejam mamãs, são seres humanos com todas as dúvidas que o ser humano acarreta, que por vezes podemos pensar e ser más mamãs mas que para eles seremos sempre e só...mamã!

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Olha...desmaiou!!!



Acho que já aqui disse que D. Pimpolha é dada a desmaios quando vê sangue ou mesmo ouve falar na palavra sangue. Hoje de manhã acordou e reparou que tinha uma pele levantada no dedo polegar e imediatamente começou a arfar. Bem eu disse-lhe que a única coisa a fazer seria mesmo cortar a pele para que não abrisse mais e aí sim, deitasse sangue. Negou com todas as forças e escondeu o dedo e disse que só queria colocar um penso. Concordei mas disse que teria de cortar a pele na mesma pois se não o fizesse era doloroso na mesma. Como não quis foi lavar os dentes e comecei a ouvi-la a chorar. Lá fui eu até à casa de banho e quando lá cheguei estava lavada em lágrimas.
-Que tens tu? Porque raio estás a chorar?
Num ápice D. Pimpolha desmaiou! Caiu ao chão ainda com a boca cheia de pasta de dentes, a impár e a tremer. Tal foi o estardalhaço que Dom Maridão que já se encaminhava para preparar a lancheira veio ver o que se tratava e nem queria acreditar que D. Pimpolha estava desmaiada. Na realidade ela não desmaiou mas foi como se tivesse pois não se lembrava de nada a seguir. Tive que a puxar pelo braço para que não batesse com a cabeça no chão e coloca-la em cima da sanita sentada. É uma visão assustadora mas considero que não lhe posso dar mimos e nem concordar com isto pois ela sendo menina, mais dia menos dia terá a menstruação e depois, como vai ser? Nunca vi tamanha aversão ao sangue ou mesmo à menção ou suspeição de sangue. Depois lá se compôs e tomou o pequeno almoço mas nunca sem me deixar cortar a dita pele. Já uma vez quando lhe caiu um dente, estávamos nós no norte num torneio de patinagem, fez uma fita semelhante e eu nem sequer pude tratar dela. Se for eu ela definitivamente desmaia e a birra é bem maior do que se for outra pessoa a tratar dela. Infelizmente lá por casa de manhã só estamos nós, os seus papás e por isso a birra foi grande. 

Lá passou e de caminho para a escola até achou graça ao facto que ter desmaiado...
- Desmaiei? Ai foi??? Não me lembro de nada...
Já sei que vai ser o tema de conversa entre as amiguinhas hoje lá na escola. Mas D. Pimpolha tem a quem sair. D. Tété quando era mais novinha também se afligia muita ao ver sangue e desmaiava e Dom Maridão também. Só eu, que já até passei por muito, tive um caso de envenenamento por tintas escolares que me levou a ser internada no hospital onde me espicaçaram várias vezes ao dia com agulhas e eu, a soro, arrancava o mesmo libertando assim muito sangue, só para ir brincar. Lembro-me de quando ia levar alguma vacina, as enfermeiras me diziam para olhar para o outro lado e eu ficava a mirar todos os procedimentos muito atentamente. Enfim, a mim não saiu nisto.

O que vale é que rapidamente esqueceu o sucedido e já me perguntava se podia ir passar o dia de anos a um parque de escorregas aquático já que o ano passado fizemos uma coisa semelhante.
-Filha, a mamã não pode pagar as entradas de todos os teus amiguinhos, os parques são caros além de que, a mamã não tem capacidade para tomar conta de todos num parque aquático... ( só de pensar em cada miúdo a fugir para lados diferentes e eu sem saber para que lado me virar dá-me calafrios!!! Este tipo de responsabilidade eu não aceito!) Bem lá lhe disse que talvez se ela só convidasse uns 2 ou 3 o pudéssemos fazer. Ficou contente e de imediato começou a pensar em quem levaria. Lá se decidiu e depois disse que eu e o papá lhe podíamos dar prendas. Do género já que só podia levar 2 ou 3, a tínhamos de estragar com prendas, ou assim pensei eu, mas no final saiu-se com uma muito boa.
-Sabes que prendas tu e o papá me podem dar? ( já me preparava para lhe dar o sermão de que ela tem tudo e mais alguma coisa e não precisava de mais bonecos...) - A tua prenda é pagares a entrada aos meus amigos...
Vá lá! As coisinhas que tenho vindo a dizer-lhe, de que a vida está cara e eu não posso comprar tudo o que ela me pede, pelos vistos começam a entrar naquela cabecinha. Até me apeteceu dizer-lhe que podia convidar mais um amiguinho... mas não o fiz!

quarta-feira, 1 de maio de 2013

E Viva os Reis!!!

Ontem à hora de jantar, uma magnifica caldeirada de chocos que Dom Maridão tinha apanhado na pesca, assistimos ao resumo da coroação do novo Rei dos Países Baixos, O Rei Guilherme. Fiz questão que D. PImpolha entendesse aquele momento histórico pois provavelmente eu não verei mais nenhum a não ser que a Rainha Isabel de Inglaterra fique tão comovida com este gesto da Rainha Beatriz e faça o mesmo ( tenho cá para mim que o Príncipe Charles roeu as unhitas todas neste dia...)... D Pimpolha ficou muito entusiasmada mas não pelo que possam pensar, é que achou graça ao facto do novo Rei se chamar Guilherme que é o nome de um grande amiguinho dela que já não vê a algum tempo e de quem tem saudades. 
- Olha mamã, agora ele também tem nome de Rei, como eu tenho nome de Rainha... ( que gracinha, ela não sabe que já houve mais Reis Guilhermes mas não faz mal, há-de aprender com o tempo e a a História)
Escusavam eram os senhores de nos relembrar que a Rainha Máxima é Rainha Com Sorte (consorte) porque isso já nós mulheres sabemos! Adorei ver o flasback e o beijo que os dois deram no dia do seu casamento, um beijo divertido e apaixonado ao contrário de outros...

Por isso e porque a festa foi bonita, Viva o Rei Guilherme e a Rainha Máxima!
Vivam as princezinhas, uma delas com o nome da nossa maior fadista, Amália que é a partir de ontem é a futura Rainha da Holanda já que é a Princesa herdeira!!!






PS - só não entendi bem aquele gesto à hitler com que eles se saudaram... já podiam mudar a coisinha porque foi de imediato o que me veio à mente... mas pronto, assim foi!

PS2 - E que lindos modelitos que as Princesas e futuras Rainhas de todo o mundo levaram... a magreza de D Letizia de Espanha é notória e com aquele vento mais um bocadito e lá se ia uma princesa pelos ares... Lá apareceu a Princesa do Japão após não sei quantos anos de depressão...e já agora, porque foi o Principe Alberto do Mónaco só e abandonado à festa??? Não é a tradição levar a mulherzinha???
Alguns dos modelitos...  a meu ver gostei da Princesa da Belgica, ia mesmo a condizer com a festança!!!